A glória da segunda casa será maior que a da primeira – O que significa?

“A glória da segunda será maior que a da primeira” é um profecia de Ageu (Ageu 2.9Ageu 2.9). O livro de Ageu retrata a época em que o povo de Israel tinha voltado do exílio e estava reconstruindo a cidade de Jerusalém. O contexto da profecia é a reconstrução do templo da cidade e a promessa de que o novo templo seria ainda mais glorioso do que o templo construído por Salomão. O termo “casa” refere-se ao templo, que é a casa do Senhor em meio ao povo.

A Primeira Casa

A primeira casa, ou templo, foi construída pelo Rei Salomão. Ao longo de muito tempo, o Rei Davi juntou recursos e preparou o caminho para que a obra acontecesse. No entanto, foi o Rei Salomão quem deu início à construção. Ele era lindo, cheio de ouro e pedras preciosas. Uma construção magnífica para aquela época. Era o símbolo da presença de Deus no meio de seu povo. Portanto, sua importância era destacar o relacionamento de Deus com Israel.

Salomão dedicou essa primeira casa ao Senhor com grande festa (2Cr 7.1-32Cr 7.1-3). A resposta do Senhor foi que seus olhos e seu coração estariam sempre naquele lugar (2Cr 7.13-162Cr 7.13-16). A glória do templo não é a sua beleza arquitetônica, ou o ouro, prata e pedras preciosas. A glória do templo é a presença do Senhor.

A destruição da Primeira Casa

Embora fosse magnífico, o glorioso templo e a cidade de Jerusalém foram incendiados e destruídos por Nabucodonosor, o Imperador da Babilônia (2Cr 36.192Cr 36.19). A cidade, com seus muros, palácios e casas, foi destruída. O povo foi levado cativo para a Babilônia. Esse foi um dos episódios mais humilhantes da história de Israel. Ademais, os utensílios preciosos do templo foram saqueados e levados para a Babilônia. A glória do templo estava em ruínas, pois, não havia mais a presença de Deus ali. O povo tinha esquecido de seu Deus e agora experimentava as consequências dos seus erros.

A segunda Casa

Depois de muito tempo exilado, o povo de Israel voltou para sua terra. Eles tinham muito trabalho para reconstruir a cidade, os muros e o templo. As reconstruções começaram com Esdras e Neemias, mas não foram totalmente concluídas. Nos tempos do profeta Ageu, Deus convoca o povo a terminar as obras no templo de Jerusalém.

Todavia, a tarefa não era fácil e o povo estava desanimado. Ao se lembrarem de como era maravilhoso o primeiro templo e verem o estado de destruição atual, os construtores não tinham esperança e viam grande dificuldade. Por isso, Deus fala ao povo para os incentivar e fortalecer. A promessa é que o novo templo seria mais glorioso do que aquele construído por Salomão. Esse templo conduziria à glória dos últimos dias.

Deus os encorajou e assegurou que ele mesmo estava com eles. A ordem “sê forte” se repete 3 vezes (Ageu 2.4Ageu 2.4). Isso enfatiza a necessidade do povo ser perseverante na obra do Senhor. Ademais, a glória do novo templo não seria apenas pelas riquezas materiais. Pois, a intenção de Deus era de honrar a si mesmo pela manifestação de sua gloriosa presença diante de todas as nações (Ageu 2.7Ageu 2.7).

Sendo assim, quando a presença de Deus enchesse o templo, as nações seriam atraídas para a luz. Além disso, como soberano possuidor de todas as coisas, Deus realizaria a própria glorificação e faria seu povo herdar as riquezas de todas as nações (Is 60.5Is 60.5).

A verdadeira glória da Segunda Casa

A promessa de uma glória maior foi finalmente concretizada quando Jesus entrou no templo. Porquanto, ele é a maior manifestação da presença e da glória de Deus (João 1.14João 1.14). Uma das promessas era que naquele lugar Deus derramaria a paz (Ageu 2.9Ageu 2.9). De acordo com o Novo Testamento, Jesus dá a verdadeira paz aos crentes (João 14.27João 14.27). Paz, no entanto, quer dizer mais do que ausência de conflito. Ela representa prosperidade, bem-estar, uma vida em harmonia com Deus e com o próximo. Isso só é possível através da nova vida dada por Jesus e pelo Espírito Santo.

Portanto, a segunda casa é ainda mais gloriosa, pois o próprio Jesus esteve ali. Ele cumpriu as promessas feitas no Antigo Testamento. As nações puderam ver a glória de Deus nele. A presença do Messias, Filho de Deus, Senhor da Glória, pessoalmente e encarnado.

Contudo, o pleno cumprimento dessa promessa aguarda o momento em que o Senhor Deus e o Cordeiro serão eles próprios o templo da Nova Jerusalém (Ap 21.22Ap 21.22).

Jesus no Antigo Testamento

Essa profecia de Ageu é um ótimo exemplo para demonstrar que Jesus é o centro da Bíblia. A Bíblia, de Gênesis ao Apocalipse, nos revela quem é Jesus. Ele é o mais importante, e tudo foi feito por, para ele e para a glória dele (Rm 11.36Rm 11.36).

Algumas coisas importantes no Antigo Testamento servem como sombras, ou figuras importantes que terão seu significado e propósito mais profundo revelados apenas em Jesus. É o caso do templo. Ele simbolizava a presença gloriosa de Deus no meio de Israel. Contudo, essa presença não podia ser acessada por qualquer pessoa do povo, apenas os sacerdotes.

No entanto, quando Jesus vem para a terra, ele é chamado Emanuel, que significa Deus conosco (Mt 1.23Mt 1.23). Sendo assim, a presença de Deus em meio a Israel não está mais restrita ao templo. Deus está andando nas ruas, pregando a mensagem da salvação, curando e libertando os oprimidos. A glória de Deus deixa o templo e caminha em meio ao povo. A luz para as nações, a paz de Deus está entre o povo de maneira muito mais gloriosa do que antes. Em Jesus, as pessoas experimentam o amor e poder de Deus.

Jesus é o centro da História e nossas história encontram sentido nele. Não devemos ser os protagonistas, mas nossa vida deve ter o propósito de glorificar a Deus a cada dia. A glória prometida para a segunda casa é a presença de Jesus. A glória prometida para nós é a presença de Jesus em nossas vidas.

O Novo Testamento diz que o cristão é templo do Espírito Santo (1Co 3.161Co 3.16). Veja que o templo do Antigo Testamento cumpriu seu propósito, e agora a presença gloriosa de Deus habita nos crentes. Da mesma forma que o antigo templo era sinal da presença de Deus em meio às nações, os cristãos devem viver como sinal da presença da glória de Deus. Eles só podem fazer isso através de Jesus! Devemos viver nossas vidas para a glória dele, porque a glória dele nos transformou e deu sentido para nossa história.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More