Categorias
Personagens Bíblicos

Por que Ananias e Safira morreram? Estudo Bíblico

A história de Ananias e Safira é relatada no livro dos Atos dos Apóstolos. Eles eram membros da Igreja de Jerusalém em seu início. Lucas relata que aquela igreja vivia em plena comunhão, eram uma só mente e um só coração. Os cristãos compartilhavam tudo o que tinham, cuidavam uns dos outros, não havia quem passasse necessidades entre eles. Aqueles que tinham mais posses vendiam o que possuíam e traziam sua ofertas aos apóstolos para que eles distribuíssem conforme cada um precisasse (Atos 4.32-35).

O plano de Ananias e Safira

Ananias e Safira conheciam o costume das ofertas na igreja e viram nisso uma oportunidade de ganhar destaque na comunidade. Os dois tramam um plano: primeiramente, vender uma propriedade e prometer entregar tudo aos irmãos. Mas, na verdade, pensavam em reter parte do valor da venda para si e ofertar apenas uma parte. Na igreja, eles diriam que aquilo era tudo que tinham recebido. Assim, contariam uma pequena mentira em relação ao valor recebido. (Atos 5.1-11)

Certamente, não haveria problema nenhum se eles tivessem ofertado um pouco. Ou, mesmo se ficassem com todo o dinheiro, pois, a propriedade era deles. A questão não é o tamanho da oferta. Deus não está preocupado com o dinheiro que eles ofertariam. Ele não precisa das riquezas das pessoas para abençoa-las.

O problema foi a mentira! O casal teve uma motivação terrivelmente errada. Pedro diz que Satanás havia enchido o coração de Ananias, levando-o a mentir para o Espírito Santo (Atos 5.3).

Estudo Bíblico – Ananias e Safira

Uma tradução mais precisa desse versículo ficaria assim: “Ananias, como é que Satanás encheu o teu coração para falsificar o Espírito Santo?” (Atos 5.3).

Inegavelmente, Ananias tentou forjar uma situação como divinamente inspirada, mas na verdade, era uma fraude. E ainda mais grave, ele procurou incluir o Espírito Santo em sua artimanha.

Então, a ação de Ananias e Safira não é uma simples mentira, mas um perigo crescendo dentro da igreja. Uma semente do mal em meio aos cristãos. Até esse momento em Atos, os problemas da igreja vinham de fora, agora ela está sendo atacada por dentro.

A oferta de Ananias e Safira não era motivada pelo amor aos irmãos. Sua motivação era o egocentrismo, queriam glórias pessoais, eram hipócritas. Ousaram tentar falsificar o Espírito Santo em seu esquema. Seu pecado foi dar parte da venda, afirmando que estavam entregando tudo. Seu erro foi mentir ao Espírito Santo e à Igreja. Eles foram ladrões, mentirosos e avarentos. [fonte]LOPES, Hernandes Dias. Atos – a ação do Espírito Santo na vida da Igreja.[/fonte]

Vejamos a continuação do versículo 3: “[…] e guardar para si uma parte do dinheiro que recebeu pela propriedade?”
Guardar para si no grego é o verbo “νοσφίσασθαι” (nosphisasthai), que significa apropriar-se indevidamente, roubar. [fonte]BibleHub – Interlinear Greek-English.[/fonte]

Assim, fica subentendido que antes da venda, Ananias e Safira assumiram algum tipo de compromisso com a Igreja para doarem todo o dinheiro. Posteriormente, quando entregaram apenas parte do valor, em vez do total, tornaram-se culpados de apropriação indébita/roubo.

Em Lucas 22.3-4, vemos o relato que Satanás entrou em Judas e este traiu Jesus. Agora ele havia entrado no coração de Ananias e Safira, levando-os a mentir ao Espírito Santo. O pecado aqui é julgado pelo Espírito Santo, através de Pedro. E serve de exemplo para toda a igreja.

O Pecado de Ananias assemelha-se ao pecado de Acã no Antigo Testamento.

O Pecado de Acã e sua relação com Ananias

O pecado de Acã foi roubar e esconder em sua tenda bens e posses que deveriam ser dedicados a Deus (Josué 6.17-19 e cap.7). Seu pecado trouxe o julgamento de Deus sobre Israel. Por causa disso, o povo perdeu uma batalha importante e soldados israelitas morreram. Israel sofreu até descobrir o pecado no meio do acampamento. Somente quando Acã foi descoberto e sua família e todos os seus bens foram queimados, Israel pôde continuar sua jornada. O povo que tinha de ser perfeito com o Deus é perfeito. Sendo assim, o pecado de Acã trouxe desgraça para sua nação. Mas Deus agiu para purificá-la novamente.

Da mesma forma, em Atos, a igreja é o novo Israel. A ação de Ananias e Safira tinha profanado a comunhão, violado a pureza da comunidade e poderia contaminar ainda mais a Igreja na continuidade de sua missão.

Portanto, pela gravidade de seus pecados, Acã, Ananias e Safira recebem o julgamento. E isso serve de exemplo e advertência para todo o povo, para que temam o Senhor e andem em seu caminho.

Consequência do Erro de Ananias

No momento em que ouve a repreensão de Pedro por causa do grave pecado, Ananias morre. O pecado que ele tentou esconder foi revelado e julgado pelo Espírito Santo. Contudo, se Ananias tivesse êxito em sua ideia, o fermento da hipocrisia estaria instalado na Igreja. O vigor do cristianismo estaria abalado.

O juízo do Espírito Santo serviu para extirpar a hipocrisia e de forma radical preservar sua igreja. Esse juízo, que aos nossos olhos pode parecer severo demais, é necessário para preservar o povo de Deus no caminho da justiça. Ao ver o que aconteceu com Ananias, o povo teve grande temor. (Atos 5.5)

Consequência do Erro de Safira

Semelhantemente, Safira veio ao lugar de reunião da igreja. Ao encontrar-se com Pedro, primeiramente ouve a pergunta: “Diga-me, foi esse o preço que vocês conseguiram pela propriedade?” (Atos 5.8). Ela não sabia o que havia acontecido com seu marido anteriormente. Mesmo diante da igreja, do apóstolo Pedro e do Espírito Santo, Safira mente. A ela é dada a oportunidade de corrigir o erro, contudo, ela não está arrependida. Porque ela participou do erro do marido, a ela foi dada a mesma sentença.

Ananias e Safira fizeram um pacto de mentira. Entraram
em comum acordo não só para mentir ao Espírito Santo
(At 5.3), mas também para tentar o Espírito do Senhor (At 5.9).
O pecado deles foi planejado. Eles deliberaram agir de
forma hipócrita. Houve uma aliança para o mal. Por isso, o
juízo de Deus se repete em Safira. [fonte]LOPES, Hernandes Dias. Atos – a ação do Espírito Santo na vida da Igreja.[/fonte]

Conclusão

Enfim, a mentira e hipocrisia foram desmascaradas. Todos que ouviram sobre aquele acontecimento ficaram cheios de temor (Atos 5.11). Esse acontecimento demonstra que Deus leva muito a sério a pureza coletiva de seu povo, assim como a sinceridade no compromisso daqueles que se dizem cristãos. Deus conduz sua igreja e a cuida dela. Portanto, fica claro que, quando necessário ele age da forma correta para que todos se mantenham no caminho.

A pureza da comunhão na igreja foi violada pela atitude do casal quando tentaram falsificar o amor gerado pelo Espírito Santo. Assim, atraíram para si o julgamento de Deus. Sua astúcia se tornou em uma armadilha.

Mas, a história de Ananias e Safira nos mostra que Deus conhece os corações. Não há como mentir para ele ou enganá-lo. Ele não se importa com o tamanho da oferta, pois, na verdade, ele busca corações sinceros que o adorem em espírito e em verdade (João 4.24).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *