Comer carne de porco é pecado? Antigo e Novo Testamento.

Comer carne de porco não é pecado para um cristão. Entretanto, no Antigo Testamento (AT) vemos que o povo judeu não deveria comer carne de porco, pois, ele era considerado um animal impuro. No Novo Testamento (NT) vemos uma nova interpretação a respeito dessa lei. Mais do que responder se comer carne de porco é pecado, vamos examinar um pouco mais sobre essas leis bíblicas.

Animais impuros no Antigo Testamento

O AT traz para nós uma lista de animais puros e impuros para o povo de Israel. Esses animais não deveriam servir de alimento e o judeu não deveria tocar em seus cadáveres.

Nesse capítulo, Moisés explica a diferença entre coisas puros e impuras, ou seja, limpas e imundas. Esse conceito era essencial para a vida de Israel com o Deus Santo. “Limpas” eram as coisas “apropriadas à presença de Deus”, enquanto, “imundas” eram as inapropriadas. O propósito central dessas orientações era tornar Israel santo (Lv 11.44Lv 11.44), separado das práticas contaminadoras praticadas pelos povos vizinhos.

A instrução a respeito dos animais pode ter vários motivos. Por exemplo, os porcos são animais que transmitem doenças, assim como os ratos. Contudo, além desses motivos, o principal motivo não é a saúde do povo, mas princípios morais e teológicos. Veja, os animais carnívoros e aves de rapina comem carne com sangue, algo proibido ao povo (Lv 7.26Lv 7.26), e se aproximavam de cadáveres. Logo, por causa dessas práticas deveriam ser considerados imundos.

Em termos teológicos, as criaturas puras simbolizam Israel e as impuras representam os gentios. Somente animais puros podiam ser oferecidos como sacrifício, pois o animal sacrificial representa o adorador. Ao restringir sua dieta aos animais puros, os israelitas eram lembrados que Deus havia escolhido apenas Israel entre as nações.

A lei no Antigo Testamento

A lei instituída por Deus no AT tem três diferentes dimensões:

  1. Moral. Representa a vontade de Deus para com o homem, no que diz respeito ao seu comportamento e seus deveres principais.
  2. Cerimonial. Esta representa a legislação levítica do Antigo Testamento: os sacrifícios e todo o simbolismo cerimonial.
  3. Civil. Representa a legislação dada à sociedade ou ao Estado de Israel: os crimes contra a propriedade e suas respectivas punições.

As leis a respeito de animais puros e impuros pertencem à dimensão Cerimonial. Sendo assim, conforme essas leis, comer carne de porco tornaria o israelita impuro.

Animais Impuros no Novo Testamento

Entretanto, no Novo Testamento vemos que algumas dessas leis são reinterpretadas por Cristo. Isso não significa que Jesus aboliu a lei, mas que algumas dessas leis já tinham cumprido seu propósito e não eram mais necessárias.

Em Atos 10.9-15, Atos 10.9-15, Pedro tem uma visão vinda dos céus que o ajuda a compreender que as leis a respeito dos animais já havia cumprido seu propósito. Um dos principais propósitos dessa lei era fazer distinção entre judeus e gentios. Porém, agora Deus estava chamando os gentios, cerimonialmente impuros, para serem salvos e purificados mediante o sacrifício de Jesus. Portanto, as regras que faziam distinção entre os povos não eram mais apropriadas.

O cristão pode comer carne de porco e de outros animais considerados impuros no AT, pois, no NT isso é permitido. As leis cerimonias de purificação não são mais necessárias, visto que os cristãos são purificados mediante o sacrifício e o sangue de Cristo derramado na cruz (Hb 10.17-20Hb 10.17-20).

Comer carne de porco é pecado?

Não é pecado. Visto que as leis cerimoniais do AT não são mais necessárias e o porco não é mais considerado um animal impuro. Para ser puro, o cristão não precisa seguir os rituais de purificação do AT, ele precisa apenas de Jesus. Os rituais do AT cumpriram seu propósito. Em Jesus, o cristão é lavado, santificado e justificados (1Co 6.111Co 6.11). A comida não nos torna melhores diante de Deus, nem piores (1Co 8.81Co 8.8).

Contudo, o cristão deve tomar cuidado para não ofender um irmão ao comer carne de porco.

Não devemos escandalizar os irmãos

Embora comer carne de porco seja permitido aos cristãos, Paulo nos alerta sobre a necessidade de cuidarmos dos irmãos que se sentem escandalizados com isso. Ele diz que nossa liberdade não pode se tornar pedra de tropeço para os outros (1Co 8.91Co 8.9). Ademais, se eu comer carne faz mal ao meu irmão, então devo parar de comer carne (1Co 8.131Co 8.13).

O contexto desse trecho fala sobre carnes sacrificadas aos ídolos, contudo traz princípios importantes para nós. Paulo nos leva a pensar primeiramente nos irmãos e não em nossas próprias vontades. Se minha vontade, embora lícita, leva meu irmão mais fraco a tropeçar, então, por amor a ele me absterei daquilo que quero.

Comer carne de porco não é pecado, mas se algum irmão ainda não compreende isso, nós devemos com paciência ensiná-lo. E por amor a ele, evitar carne de porco.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More