Quem foi a esposa de Josué?

Com a adaptação da história de Josué para a televisão, surge a pergunta “Quem foi a esposa de Josué?”. O que é verdade naquilo que vimos na novela? Dentre os acréscimos feitos pela novela, vemos personagens destacando-se no enredo. Qual é a importância de Aruna, Ana, Raabe na história de Josué. Alguma delas realmente foi sua esposa ou par romântico?

Da Bíblia para a TV

Antes de tratarmos de cada uma das possibilidades, é necessário esclarecer que adaptações de histórias bíblicas para a televisão têm a tendência de inserir elementos que vão além do registro bíblico. Isso acontece porque a novela precisa envolver o público com a história. Para isso, surgem novos pares românticos, situações de conflito, coisas além do registro bíblico. Tais elementos visam prender a atenção do público, despertar curiosidade, envolvê-lo e fidelizar o espectador para gerar audiência.

Josué e Ana

Não há registro bíblico que mencione alguma Ana presente na vida de Josué. Podemos afirmar que isso é uma adição que a novela faz à história. A primeira personagem Ana da Bíblia é a mãe de Samuel, citada pela primeira vez em 1 Samuel 1.2. Há uma Aná citada em Gênesis 36.2. Mas, ambas não tem relação com a história de Josué na Bíblia. Ambas estão separadas cronologicamente de Josué por séculos

O uso do nome Ana para uma personagem na novela pode indicar que o nome, comum na época, é plausível para a história da televisão. Portanto, facilmente aceitável pelo público.

Josué e Raabe

A relação entre Josué e Raabe é registrada no livro de Josué 6. Quando o povo de Israel chega a Jericó, espias são enviados para ver a cidade e descobrir fraquezas. Raabe, uma prostituta que morava em Jericó esconde os espias israelitas em sua casa e os salva. Em troca disso, promete-se que ela e sua casa (família) serão poupados quando Jericó for conquistada. Josué cumpre a promessa em Josué 6.17-25. Não há quaisquer outros detalhes sobre sua relação com Josué.

Posteriormente Raabe é citada novamente em  Mateus 1.5, na genealogia de Jesus. Lá vemos que Raabe se casou com Salmom e foi mãe de Boaz. A relação de Raabe com Salmom não está detalhada na Bíblia. Há apenas a menção de que ambos geraram Boaz. Este Boaz se casou com Rute e de sua descendência vem o Rei Davi. Portanto, Raabe, a ex-prostituta, é a trisavó do Rei Davi e uma das antepassadas de Jesus. 

Postagens Relacionadas

Josué e Aruna 

Não há, em toda Bíblia, uma única menção a Aruna.

Aruna é um nome de origem sânscrita, antiga língua indiana, e significa “castanho avermelhado”. Na mitologia Hindu, Aruna é o cocheiro do deus Surya, o deus sol do hinduísmo. Aruna seria a personificação do brilho avermelhado do sol nascente.

Há outras histórias para o personagem Aruna no budismo e no jainismo(religiões também da Índia). Entretanto, esse nome jamais surge na Bíblia ou no Cristianismo. Portanto, não há possibilidade de uma Aruna ter sido a esposa de Josué.

A Verdadeira Esposa de Josué

Não há relatos sobre o nome da esposa de Josué, ou mesmo se ele teve esposa. Com base em Js 24.15 “Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor” (tradução NVI), entende-se que Josué possuía família. Era muito incomum nos tempos de Josué um homem não se casar e ter filhos, visto que isso era considerado uma benção de Deus.

Mas, os relatos bíblicos focam na liderança e nas conquistas de Josué sob a orientação de Deus. Não há intenção de registrar quem eram seus descendentes e sua esposa. Por isso, também não se sabe quais eram os nomes dos filhos de Josué.O único parente de Josué mencionado na Bíblia é seu pai. Josué, filho de Num. (Números 13.16)

Conclusão

Os relatos bíblicos não nos trazem detalhes a respeito da família de Josué, quem foi sua esposa ou quantos filhos teve. O enfoque da história bíblica é demonstrar como através da vida de Josué, Deus cumpriu a promessa que fizera a Israel de lhes dar a terra prometida. A liderança de Josué conduziu o povo a servir a Deus (Js 24.31), esse é seu grande feito e o ponto mais importante de sua vida.

Quanto à história relatada na novela, é necessário assistir com senso crítico. Pois, é uma história floreada que em diversos momentos vai além da verdade para entreter o público. Não é pecado assistir, mas não se pode acreditar em tudo que se fala ali.

 

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More