Jogar baralho é pecado? Baralho é do Diabo?

O baralho em si, como jogo de diversão, não é pecado. Biblicamente não há restrições a jogos de lazer. Entretanto, o jogo pode se tornar pecado quando é jogo de azar. Jogos de azar são aqueles em que apostamos dinheiro na tentativa de multiplicá-lo, sabendo que as probabilidades são contrárias a nós.

A Bíblia nos orienta a não buscarmos dinheiro fácil (Pv 13.11Pv 13.11; Pv 23.5Pv 23.5; Ec 5.10Ec 5.10). O dinheiro facilmente nos envolve e seduz, a chance de obtê-lo facilmente atrai aqueles que não são sábios e pode levá-los à ruína. Há também a possibilidade de usar outros tipos de baralho como forma de adivinhação do futuro, isso também e pecado!

Jogar baralho é pecado?

Sendo assim, o baralho em si não é pecado, mas pode se tornar um meio para o pecado. Isso acontece quando:

Contudo, não se trata apenas de ter uma regra. É necessário sabedoria para ver quando jogar baralho se torna algo que faz mal para nossa vida. O jogo pode ser divertido, entreter, mas caso se torne em algo ruim, fica claro que não é algo que Deus quer nas nossas vidas. Não devemos permitir que o jogo nos afaste de Deus, ou que se torne um falso deus em nossas vidas.

Origem do baralho?

Não se sabe ao certo onde surgiu. Alguns indícios apontam que poderia ter sido na China, logo após a invenção do papel. Quando o imperador Sehum-Ho quis presentear uma de suas namoradas. Outros indícios mostram a possibilidade de ter surgido na Arábia. No entanto, historiadores dizem que as primeiras cartas surgiram no século X antes de Cristo, no Oriente Médio. Contudo, não há um consenso final a respeito da origem.

Na Índia, em tempos antigos as cartas eram usadas como oráculo que adivinham a sorte ou o futuro. O baralho era dividido em dez séries, uma para cada encarnação do deus hindu Visnu. Aliás, parece que no início as cartas tinham uso como oráculos para resolver os enigmas pessoais. Esse uso precedeu sua associação ao jogo. A maioria das artes, nas antigas civilizações, tinham um aspecto religioso e a adivinhação significava intervenção ou mensagem dos deuses.

No final do século 14 d.C., o baralho se espalhou pela Europa. Documentos comprovam na Espanha, Suíça, Florença e Paris. Por exemplo, em um livro de contabilidade da duquesa de Luxemburgo consta a compra de um baralho, com data de 14 de maio de 1379.
No século 15 d.C., havia diferente configurações de naipe. Na Alemanha, eram copas, sinos, folhas e bolotas, que ainda são utilizados em alguns jogos até hoje. Na Itália e na Espanha, cartas do século 15 eram dos naipes espadas, batons, copos e moedas.

Hoje os naipes são 4: paus, copas, espadas e ouros.

Significado das cartas do baralho:

  • Os 4 naipes são: Paus, Copas, Espadas e Ouros.
  • 52 cartas no total.
  • as cartas são numeradas de 2 até 10.
  • a carta equivalente ao 1 é o Ás, representado por um A.
  • Valete: vem do Francês “valet”, é um empregado doméstico masculino. Sua letra é o J, do inglês Jack.
  • Dama: representa a rainha, geralmente seu nível de importância é maior que o do Valete e menor que o do Rei. Sua letra é o Q de Queen.
  • Rei: é muitas vezes a carta de segunda maior importância no baralho, perdendo apenas para o Ás. Sua letra é o K de King.

Há algumas variações de baralhos pelo mundo, mas os comumente usados no Brasil seguem essa configuração.

Algumas linhas religiosas usam significados diferentes para as cartas, como forma de adivinhação e ocultismo. Contudo, essas formas de usar o baralho são veementemente condenadas pela Bíblia. Portanto, não consideramos os significados exotéricos como verdadeiros e abordamos o baralho apenas como um jogo de lazer.

Significado da palavra “baralho”:

Baralho no dicionário significa:

  • conjunto de cartas de jogo, que varia em número de acordo com o jogo a que serve.
  • nome dado à coleção de 52 cartas de jogar, distribuídas em quatro naipes, cada um com uma série de ás a rei, sendo que este, a dama e o valete são chamados figuras [Existe mais uma carta, o curinga, só us. em certos jogos.].

A orgiem da palavra vem do verbo “baralhar” que significa: misturar, desarrumar, pôr fora de ordem. Algumas pessoas atribuem a isso um significado espiritual. Entretanto, é mais sensato entender que o verbo se refira apenas ao ato de que a cada início de jogo misturam-se as cartas para ficar fora de ordem como preparação. O nome não tem relação com bagunçar sua vida, ou sua casa ou sua família.

Jogar Uno é pecado?

Não, não é pecado. O Uno é um jogo para diversão. Seu uso recreativo pode ser benéfico e ajudar no desenvolvimento das crianças. Pois, o uso das diferentes cores e números facilita na aprendizagem de maneira interativa. Entretanto, assim como outras brincadeiras pode trazer riscos, como brigas, discussões e estragar amizades.

Mas, ao jogar Uno temos a oportunidade de nos divertir e aprender a nos relacionarmos de maneira saudável com nossos amigos. Além do mais, o Uno pode proporcionar momentos em que pessoas mais introvertidas sintam-se à vontade para se abrir e fazer novas amizades.

Jogar Dominó é pecado?

Não, não é pecado. Da mesma maneira, aplicam-se ao dominó os mesmo princípios bíblicos usados para o baralho e o Uno.

Conclusão

Não busque apenas regras de certo e errado, busque princípios bíblicos que possam o orientar a agradar a Deus em tudo que fizer. Se você entende que o baralho, Uno, dominó o afastam de Deus, deixe esses costumes. Ore para que Deus o oriente. Não deixe que os jogos, entretenimento e diversão dominem você. Faça tudo para a glória de Deus (1Co 10.311Co 10.31).

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More