Existe Maldição Hereditária? É heresia?

O problema da Maldição Hereditária

Alguns definem a “maldição hereditária” como “um problema que surge por causa de pecado na família” e assim, os descendentes estarão presos à uma maldição espiritual. Seguindo essa linha, a maldição surge a partir do pecado de alguém e a consequência disso afeta e prejudica os demais. Mas, o aspecto principal não é a consequência do fato em si, mas a parte espiritual. Ou seja, como se por causa do pecado, Deus castigasse a família e os descentes do pecador.

Além disso, parece haver a ideia de que o pecado dá poder ao diabo para entrar naquele lar e destruí-lo. Sendo assim, a ideia de maldição hereditária desdobra a crença de que quando alguém peca, Deus está ansioso para punir e o diabo fará a festa ali.

Contudo, a Bíblia nos mostra que todas as famílias têm pecados. Pois, todos pecaram e carecem da glória de Deus (Rm 3.23). Não existem pessoas perfeitas. Pois, toda humanidade está contaminada pelo pecado. Se juntarmos a ideia anterior de maldição hereditária e a verdade bíblica que todos são pecadores, logo, chegaremos à conclusão que todos estão amaldiçoados. Mas, a simples crença em maldição hereditária é rasa, e precisa de aprofundamento e estudo bíblico.

Outra forma de entender Maldição

Em diversos textos ao longo da história bíblica, vemos a palavra maldição. Mas é necessário entender que maldição na Bíblia é resultado da quebra de uma aliança. Ou seja, Aliança significa compromisso entre duas partes. Aqui, a aliança é entre Deus e Israel. Quando Deus estabelece a aliança, ele fala quais são os termos, responsabilidades de cada parte, benefícios e consequências da quebra da aliança.

É nesse contexto que vemos Deuteronômio. Veja o capítulo 28. Em Dt 28.1-14, vemos os benefícios da Aliança de Deus com Israel. A condição é que Israel permaneça fiel exclusivamente a Deus. Se assim o fizer, experimentarão as bênçãos do Senhor. Entretanto, veja Dt 28.15-20, se o povo abandonar a Deus e ignorar seus mandamentos, experimentarão as maldições. Nesse contexto fica claro que maldição é a consequência da quebra da aliança. E o sofrimento é o resultado disso.

Conforme o que lemos, o povo experimentará a maldição que é uma vida sem a benção de Deus. Benção e maldição são palavras opostas ao longo do Antigo Testamento.

O que é Bênção?

Duas palavras usadas no Antigo Testamento são traduzidas como benção. Uma delas é אַ֥שְֽׁרֵי־ (’aš·rê) que é normalmente traduzida como bem-aventurado, muito feliz e abençoado. É a primeira palavra do livro dos Salmos. E veja, abençoado é aquele que anda no caminho do Senhor (Salmos 1.1-6. Esse salmo mostra o sentido de benção, especialmente em Salmos 1.3. Benção é estar constantemente regado e cuidado por Deus. Portanto, é ter uma vida que prospera (sentido é maior do que prosperidade financeira). Mas, essa palavra aponta especialmente para a fonte da benção e alegria na vida, que é o próprio Deus.

A outra palavra é בְּרָכָה (berakah) que significa abençoado, bendito, louvado seja, e etc. Ela é usada 327 vezes no Antigo Testamento e 88 vezes em Gênesis. Todas as formas de uso dessa palavra  pressupõem Deus, ou como autor supremo que concede a bênção ou como receptor (da adoração).

É importante enfatizar que no contexto bíblico, nada era mais importante do que assegurar a benção divina sobre a vida de uma pessoa, família, ou nação. Todos os povos da antiguidade buscavam a benção de uma divindade, acreditando que essa benção traria fertilidade, prosperidade, proteção, libertação, cura, preservação, poder, exaltação, além de muitos outros benefícios. A bênção é evidente e tangível. Os povos criam que quanto mais poderosa a divindade, maiores as bênçãos.

Assim, era essencial para o povo de Israel assegurar a bênção do Deus Todo Poderoso. Pois, sua bênção é extremamente poderosa e irrevogável, mas também, sua maldição seria impossível de remover. Uma vida sem a bênção de Deus era o maior de todos os pesadelos.

Benção x Maldição

Deus prometeu abençoar Israel, se fosse obediente, com tudo que fosse necessário para sobrevivência, bem-estar e continuação na posteridade. Nisso, estavam incluídos alimento, água, remoção de doenças, fertilidade e garantia de vidas longas e plenas. Dessa forma, cumpriria-se Dt 7.14. As bênçãos prometidas eram ativadas a partir da obediência.

Contudo, diante de Israel são colocados dois caminhos: (1) bênção, se obedecerem serão felizes; (2) se desobedecer e se rebelar, as maldições declaradas serão sua herança.

A maldição opera como meio de dissuasão e julgamento. Portanto, é uma forma de fazer o povo entender o mal caminho que estavam trilhando e converterem-se. Além disso, é uma forma de exercer justiça sobre a má conduta do povo. Quando Deus avisa sobre as maldições, ele está alertando ao povo que o pecado tem consequências.

Postagens Relacionadas

Maldição e Consequências

É preciso diferenciar questões de maldição espiritual de consequências do pecado. É perigoso interpretar tudo como uma maldição, ação do diabo ou coisa parecida. É necessário entender que o pecado gera consequências. Nem sempre os sofrimentos são ações sobrenaturais na vida de alguém.

Por exemplo, um pai alcoólatra que agride a esposa. Certamente, os filhos ficarão traumatizados e terão problemas psicológicos decorrentes do pecado do pai. Isso não significa que eles terão uma maldição espiritual sobre si, ou que obrigatoriamente reproduzirão os erros do pai. Contudo, há sim grande perigo de que marque de formas terríveis a vida daquela família.

A crença na maldição hereditária cria um ciclo vicioso que prenderia a família para sempre na maldição. Há, portanto, a questão Influência familiar x Maldição hereditária. A Bíblia não diz que os filhos serão amaldiçoados e presos aos pecados dos pais.

Entendendo Números 14.18

Em Nm 14.18, lemos que Deus castiga os filhos pelos pecados dos pais até a 3ª e 4ª geração. Esse texto tem sido usado para justificar a maldição hereditária. Porém, isso é um equívoco. Nesse versículo, Moisés está citando Ex 34.7. Vejamos o que esses versículos querem dizer:

  • Não deixa de punir o pecado (Nm 14.18 e Ex 34.7): enfatiza a justiça de Deus que não falha. É também um alerta para que os homens não pensem que podem abusar da misericórdia de Deus.
  • Mantém seu amor a milhares (Ex 34.7): nota-se que a misericórdia de Deus excede limites. Mas, não ignora sua justiça. Contudo, é necessário notar que sua misericórdia cobre milhares, enquanto o castigo atinge até 4 gerações. Ele é tão gracioso que apesar de punir severamente o pecador por seus pecados, até 3 ou 4 gerações, ainda sim, ele lembrará de sua misericórdia e não destruíra o povo. Mas, haverá perdão e graça quando se arrependerem.
  • Segundo a tua grande fidelidade, perdoa a iniquidade deste povo (Nm 14.19): aqui vemos Moisés pedindo perdão pelo povo. Pois, ele sabe que Deus é fiel e misericordioso. Embora, seja justo sofrimento do povo, como consequência de seus erros.
  • O Senhor respondeu: “Eu os perdoei, conforme você pediu […]” (Nm 14.20-23): Vemos aqui Deus aceitando o arrependimento e concedendo o perdão. Todavia, ao continuar a leitura do texto, vemos que aquela geração que foi rebelde e desafiou a Deus constantemente não poderia entrar na terra prometida. Eles sofreriam a consequência por desobedecer e provocar a ira de Deus constantemente.

Embora houvesse a consequência para as pessoas acima de 20 anos por causa de seu pecado (Nm 14.29), seus filhos poderiam entrar na terra (Nm 14.31). Contudo, os filhos sofreriam a consequência dos pecados do povo. Veja que não é uma maldição hereditária! É a consequência pelo pecado do povo do qual eles também faziam parte. Mas, haveria misericórdia para eles. Apesar de sofrerem a consequência dos erros dos seus pais, eles um dia desfrutariam a terra prometida com seus próprios filhos.

Maldição hereditária é bíblica?

Fica nítido em Nm 14.41-45, que apesar de todos os avisos de Moisés e do próprio Deus, que aquele povo era totalmente rebelde. Não conseguia ouvir e obedecer ao que Deus falava. Sendo assim, fica claro que os 40 anos do deserto, que era um castigo, era também necessário para que aquele povo aprendesse a respeito de sua arrogância e pecados. O castigo foi necessário para fazê-los mudar sua conduta diante de Deus. Nesse trecho vemos os dois propósitos da maldição na Bíblia, (1) trazer julgamento sobre o pecado, (2) fazer o povo mudar seus caminhos e conduta.

Portanto, esse trecho não fala sobre maldição hereditária. Essa crença não é bíblica!

Pecado de Adão é uma maldição hereditária?

Não. Essa não é a forma correta de se entender o pecado original. Adão não passou uma maldição hereditária. Mas, a partir dele toda a humanidade ficou submetida à escravidão do pecado. As maldições na Bíblia são uma resposta à desobediência humana. Na forma como muitos têm entendido, a maldição hereditária alcança alguns filhos ou gerações depois.  No caso de Adão a consequência vai além de 3 ou 4 gerações, pois, afetou todos os seres humanos e maculou a essência de todos.

O “pecado original” significa que a pecaminosidade marca a cada pessoa desde o nascimento, tornando o coração inclinado para o pecado, antes de quaisquer pecados de fato cometidos. Essa pecaminosidade íntima é a raiz e a fonte desses pecados atuais. Ela nos foi transmitida por Adão, nosso primeiro representante diante de Deus. A doutrina de pecado original nos diz que nós não somos pecadores porque pecamos, mas pecamos porque somos pecadores, nascidos com uma natureza escravizada ao pecado.

Como se livrar de uma maldição?

Biblicamente a maldição é uma vida desgraçada e perdida longe de Deus. É a condição de quem está sob a ira de Deus. Essa é a pior coisa que podemos viver. Não há maldição hereditária! Há a consequência do pecado, rebeldia e desprezo das leis de Deus. Isso traz sofrimento, dor e todo tipo de malefícios em nossas vidas.

Entretanto, há uma forma de se livrar das maldições! Há um caminho para estar em paz com Deus e viver abençoado por ele. O único caminho é Jesus (João 14.6). A Bíblia nos conta que em Cristo, nós recebemos perdão pelos nossos pecados. Porque ele levou sobre si as nossas dores, aflições, o nosso castigo (Is 53.4-6). A nossa maldição recaiu sobre ele, a consequência dos nossos erros. O salário do nosso pecado, ele recebeu (Rm 6.23). Ele se fez maldito em nosso lugar! (Gl 3.13)

Assim como nas passagens de Êxodo e Números que vimos anteriormente, aqui fica claro como a misericórdia e graça de Deus sobrepõem toda maldição. Não há maldição/condenação para aqueles que estão em Jesus (Rm 8.1-2). Pois, ele recebeu toda ira destinada a nós! Toda crença de maldição hereditária, ou maldição de qualquer origem deve cair diante da maravilhosa promessa da graça de Deus em Jesus! Essa graça é para aqueles que creem em seu nome e entregam sua vida ao salvador.

Você quer se livrar de uma maldição? Creia em Jesus como seu único e suficiente Senhor e Salvador! Seja livre.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. AcceptRead More