Quem foi Mardoqueu? Conheça seu significado.

Qual Mardoqueu?

Na Bíblia há dois Mardoqueu:

  • Um deles é companheiro de Zorobabel (Ed 2.2; Ne 7.7).
  • O outro é primo de Ester (Ester 2.5). Nesse artigo tratamos sobre esse Mardoqueu.

Quem foi Mardoqueu?

Mardoqueu é apresentado para nós em Ester 2.5-7. Conforme a história bíblica, ele era um judeu da tribo de Benjamim. Filho de Jair, neto de Simei, bisneto de Quis. Ele foi tirado de Jerusalém, portanto era um dos exilados. Tinha sido feito prisioneiro por Nabucodonosor, Rei da Babilônia. Nos tempos do livro de Ester, Mardoqueu vivia em Susã, capital do reino Persa.

Mardoqueu era primo mais velho de Hadassa, também conhecida como Ester. Ele a criou porque ela não tinha pai nem mãe. Sendo assim, embora primo, Mardoqueu era como pai dela. Ao longo do livro vemos sua influência, cuidado e orientação na vida dela. Desse modo, a história de Mardoqueu está intimamente ligada à história de Ester.

Breve contexto histórico

É preciso explicar que Jerusalém havia sido conquistada pela Babilônia, cujo rei era Nabucodonosor. Então, o povo foi feito prisioneiro e exilado de sua terra. Posteriormente, a Babilônia foi conquistada pelo Império Persa, cujo rei era Xerxes (Ester 1.1-2). Dessa forma, alguns judeus foram viver em cidades da Pérsia.

A história de Mardoqueu e Ester acontece nos tempos do Império Persa, na cidade de Susã, local onde o rei persa Xerxes vivia.

O Início da história – o crime da Rainha Vasti

Há muito tempo atrás, quando o povo de Israel estava exilado distante de sua terra, o Rei Xerxes da Pérsia dominava diversos territórios (Ester 1.1). Ele era rico e poderoso e quis mostrar isso aos príncipes e nobres com uma grande festa que durou cerca de 6 meses (Ester 1.4). Ao fim dessa festa, deu um banquete de uma semana a todos que moravam na cidadela de Susã, do mais rico ao mais pobre (Ester 1.5).

Durante a festa e o banquete, Xerxes ostentou toda sua riqueza. Deu comida e bebida em abundância a todos os seus convidados. Nessa ocasião, ao fim do banquete, ele ordenou que seus oficiais trouxessem até ele a sua rainha Vasti. Ela era deslumbrante e o rei queria que todos vissem sua beleza. Contudo, a rainha se recusou a atender a convocação do rei. Então, Xerxes ficou irado! (Ester 1.11,12)

Por consequência, a rainha Vasti perdeu sua coroa. Foi decretado que ela jamais voltaria à presença do rei e que uma nova rainha seria escolhida (Ester 1.19).

  • Esse é o início do enredo dessa grande história.

A Nova Rainha

Logo que Xerxes se acalmou, seus conselheiros lhe disseram para encontrar uma nova rainha. Mas, ela deveria ser melhor do que Vasti. Dessa forma, eles traçaram um plano. Escolheriam lindas virgens de todas as províncias do reino. Depois, trariam essas moças para o harém do rei e elas receberiam um tratamento de beleza. Então, a moça que mais agradasse o rei seria rainha no lugar de Vasti. (Ester 2.1-4).

A Importância de Mardoqueu

Mardoqueu era um israelita que vivia na cidadela de Susã. Ele tinha uma linda sobrinha que criou como filha (Ester 2.15), o nome dela era Ester. Quando as belas moças do reino foram levados ao harém, Ester estava entre elas. (Ester 2.5-8) Mardoqueu diariamente ia para perto do pátio do harém, para saber como Ester estava e o que lhe estava acontecendo. (Ester 2:11) Posteriormente, Ester foi escolhida como rainha (Ester 2.17).

Mardoqueu disse a Ester que mantivesse em segredo a origem de sua família e a qual povo pertencia. Ele continuou instruindo Ester mesmo quando ela se tornou rainha (Ester 2.20).

Mardoqueu denuncia uma conspiração contra o rei

Um dia, Mardoqueu estava sentado na porta do palácio, quando ouviu dois oficiais do rei conspirando para matá-lo. Ele contou tudo para sua sobrinha Ester que agora era rainha. Ela avisou Xerxes que decidiu investigar a questão, logo descobrindo que era verdade. Esse fato foi registrado no livro das crônicas do rei Xerxes (Ester 2.21-23).

  • Esse fato é importante na história de Mardoqueu, pois Deus usará isso no futuro.

Hamã se enfurece contra Mardoqueu

Depois daqueles acontecimentos, Xerxes escolheu Hamã como o nobre mais elevado que todos os outros do reino. As pessoas nas ruas deveriam se curvar diante de Hamã. Porém, Mardoqueu se recusava a se curvar e prostrar diante dele. Os oficiais do palácio perguntaram por que Mardoqueu fazia aquilo, ele disse que era por ser judeu. (Ester 3.1-5)

Então, os oficiais contaram a Hamã que Mardoqueu se recusava a prostrar-se. Hamã ficou irado e decidiu vingar-se não apenas de Mardoqueu, mas de todo o povo judeu. Ele tramou para exterminar todos os judeus. Para isso, ele foi até Xerxes e disse:

Então Hamã disse ao rei Xerxes: “Existe certo povo disperso e espalhado entre os povos de todas as províncias de teu império, cujos costumes são diferentes dos de todos os outros povos e que não obedecem às leis do rei; não convém ao rei tolerá-los.
Se for do agrado do rei, que se decrete a destruição deles; e colocarei trezentas e cinqüenta toneladas de prata na tesouraria real à disposição para que se execute esse trabalho”.

Ester 3:8,9

  • Xerxes aceitou o que Hamã propôs, sem saber que sua própria rainha querida estava incluída na destruição.

Mardoqueu na porta do palácio

Postagens Relacionadas

Ao saber que o plano de Hamã para exterminar os judeus havia sido aprovado pelo rei, Mardoqueu rasgou suas vestes, e saiu pelas ruas lamentando em alta voz (Ester 4.1). Ele foi até a porta do palácio, vestindo panos de saco.

Os empregados de Ester o viram e contaram à rainha. Ela mandou novas roupas para Mardoqueu, mas ele recusou vesti-las. Novamente, ela enviou seus servos para perguntarem o que estava acontecendo (Ester 4.4-5). Então, Mardoqueu contou a eles sobre o plano de Hamã (Ester 4.7-8).

Mardoqueu enviou um recado pedindo a Ester que fosse até Xerxes e interviesse por seu povo. Porém, ela respondeu que não poderia. Pois, havia uma lei que a impedia de ir até a presença do rei sem ser convidada. Caso ela fosse sem ser convocada, ela poderia até morrer!

Então, Mardoqueu disse:

Quando Mardoqueu recebeu a resposta de Ester,
mandou dizer-lhe: “Não pense que pelo fato de estar no palácio do rei, de todos os judeus só você escapará,
pois, se você ficar calada nesta hora, socorro e livramento surgirão de outra parte para os judeus, mas você e a família de seu pai morrerão. Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou à posição de rainha? ”

Ester 4:12-14

  • Perceba que Mardoqueu tem fé de que se Ester não agir, certamente, Deus proveria outro meio de livrar seu povo. Contudo, ele tem sabedoria para entender que foi o próprio Deus que fez de Ester a rainha, e assim, ela poderia servir ao Senhor dentro do palácio.

A coragem de Ester

Ester respondeu a Mardoqueu:

“Vá reunir todos os judeus que estão em Susã, e jejuem em meu favor. Não comam nem bebam durante três dias e três noites. Eu e minhas criadas jejuaremos como vocês. Depois disso irei ao rei, ainda que seja contra a lei. Se eu tiver que morrer, morrerei”.
Mardoqueu retirou-se e cumpriu todas as instruções de Ester.

Ester 4:15-17

Ao ouvir os conselhos de Mardoqueu, Ester se enche de coragem a ponto de arriscar a própria vida. Ela convoca todos os judeus em Susã a buscar o Senhor em jejum e então ela faria o que precisava ser feito. Logo depois, Mardoqueu cumpre o pedido de Ester.

Após os três dias de jejum, Ester se apresenta diante do rei. Mesmo sem ser convidada, o rei a recebe com alegria. Dessa forma, ela não morreu por ter infringido a lei (Ester 5.2-3). Então, ela convida o rei para um banquete e pede que Hamã também seja convidado (Ester 5.7-8). O rei concede seu pedido.

Enquanto isso, Hamã continua alimentando seu ódio por Mardoqueu (Ester 5.9) e manda construir uma forca para matar seu algoz (Ester 5.14).

Mardoqueu é honrado

Na noite anterior ao banquete da rainha Ester, o rei ficou sem sono. Então, pediu a seus servos que lhe trouxessem o livro das crônicas de seu reinado. Ali, ele releu a história de quando Mardoqueu havia denunciado a conspiração de alguns oficiais para mata-lo. Logo, ele questiona qual foi a recompensa de Mardoqueu por isso (Ester 6.1-3). Contudo, Mardoqueu não havia recebido recompensa.

Xerxes, chama Hamã e pergunta qual seria a recompensa para um homem a quem o rei quisesse honrar. Hamã pensa que o rei está se referindo a ele (Ester 6.6). Então, Hamã dá uma grande ideia:

Por isso respondeu ao rei: “Ao homem que o rei tem prazer de honrar,
ordena que tragam um manto do próprio rei e um cavalo que o rei montou, e que leve o brasão do rei na cabeça.
Em seguida, sejam o manto e o cavalo confiados a alguns dos príncipes mais nobres do rei, e ponham eles o manto sobre o homem que o rei deseja honrar e o conduzam sobre o cavalo pelas ruas da cidade, proclamando diante dele: ‘Isto é o que se faz ao homem que o rei tem o prazer de honrar! ’ ”

Ester 6:7-9

Hamã pensava que seria honrado, no entanto, Xerxes ordena que ele faça tudo o que disse em honra a Mardoqueu. Hamã é obrigado a sair pelas ruas honrando e proclamando o prazer do rei para com Mardoqueu.

O Senhor agindo nos detalhes

Até aqui a história nos mostra Deus agindo nos detalhes. Às vezes, distraidamente podemos imaginar que é o acaso, mas, veja:

  • Por algum motivo, o rei perde o sono,
  • pede para ler o livro,
  • depois relembra a história de Mardoqueu
  • e decide honrá-lo.
  • Posteriormente, o homem que mais odeia Mardoqueu é justamente quem dá a ideia de como honrá-lo.

Embora o livro de Ester não mencione que é o Senhor agindo, fica claro que Deus está conduzindo toda a história e honrando seu servo Mardoqueu. (Ester 6.10-11)

A forca de Hamã

No capítulo 7, do livro de Ester vemos como ela conta ao rei sobre o plano de Hamã. O rei fica furioso e decide condena-lo. Então, um de seus oficiais diz que havia uma forca de 20 metros de altura que Hamã construíra para enforcar Mardoqueu. Logo, o rei ordena que o próprio Hamã seja enforcado em sua própria forca (Ester 7.9-10).

Deus abençoa Mardoqueu

Depois que Hamã é executado, Mardoqueu recebe o anel-selo do rei e é nomeado administrador de todos os bens de Hamã (Ester 8.1-2). Mas, o povo judeu ainda estava em perigo. Então, Ester e Mardoqueu receberam permissão do rei para escrever um novo decreto. E assim o fizeram:

Mardoqueu escreveu em nome do rei Xerxes, selou as cartas com o anel-selo do rei, e as enviou por meio de mensageiros montados em cavalos velozes, das estrebarias do próprio rei.
O decreto do rei concedia aos judeus de cada cidade o direito de reunir-se e de proteger-se, de destruir, matar e aniquilar qualquer força armada de qualquer povo ou província que os ameaçasse, a eles, suas mulheres e seus filhos, e de saquear os bens dos seus inimigos.

Ester 8:10,11

  • Dessa forma, Ester e Mardoqueu foram usados por Deus para livrar os judeus da aniquilação. Os judeus obtiveram o direito de se defender de qualquer inimigo e ainda saquear aqueles que os ameaçassem.
  • Note que o antigo decreto que ordenava que os judeus fossem mortos não foi revogado. Contudo, agora os judeus tinham o direito de se defender. Nem sempre Deus retira as lutas, mas nesses momentos, ele nos dá força para lutar.

Características de Mardoqueu

Ao longo da história de Mardoqueu e Ester vemos algumas de suas características mais importantes:

  • Era temente a Deus (Ester 4.16-17);
  • Confiava no Senhor (Ester 4.13,14);
  • Permanecia fiel mesmo frente a perigos (Ester 3.2,5);
  • Cuidava bem de Ester (Ester 2.11);
  • Era um bom conselheiro (Ester 2.20).

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More